sábado, 4 de junho de 2011

O humor como técnica de interpretação

Alguns exercícios simples podem ser úteis no desenvolvimento do ator.
Um dos exercícios mais aplicados para desinibição e criação é o do "tradutor", com algumas variações.
No espetáculo de improvisação que estamos criando (sem banalizações!!!) será inserido:

POETA/TRADUTOR (2 ATORES)
Esta peça é interpretada diretamente para o público. Um dos atores recita um poema original, uma fala de cada vez, em "gromelot", mas como se estivesse falando a língua de um país estrangeiro específico. O outro ator, dividindo o palco com o poeta, traduz cada fala para o público. O tradutor deve também falar com o sotaque, adequado do país se assim desejar. Enquanto alternam a fala, a tradução deve refletir a interpretação dramática do poeta, o qual, por sua vez, deve recomeçar a história do ponto onde o tradutor para. Este exercício traz para os participantes o benefício de audição e do trabalho para construir o poema.
Antes de começar, pegue uma sugestão de uma Primeira fala para um poema original. Se você tem habilidade em sotaques, pode também pedir uma sugestão de um país estrangeiro. Se não, escolha um sotaque com o qual esteja familiarizado. O tradutor pode escolher um local para recitação do poema e começar o exercício apresentando a si mesmo e ao poeta.

8 comentários:

  1. Ramash, gotchasse muchio dal exersaise fanache!!!

    ResponderExcluir
  2. Ragadum slabum, Manu! Adonet conhuçu Gramelot?
    Slavo nacum Google Tradutor e descobrum!

    ResponderExcluir
  3. Manoj deyil, hər şeyi izah oluna bilər. Heç bir başqa gözəllik, sənət üçün sənət gözəllik başa düşür.

    ResponderExcluir
  4. haaaaaaaaa! sblegs dum.

    ResponderExcluir